Formação clássica do Warrant: Steven Sweet, Joey Allen, Jani Lane, Erik Turner e Jerry Dixon
Por Daniel Sicchierolli 

O Warrant é uma banda norte-americana formada em Hollywood no ano de 1984, exatamente no auge do hard rock dos anos 80 e junto com a mega-exposição dessas bandas na MTV, ou seja, um prato cheio para os especialistas de plantão terem motivos de sobra para não gostarem do grupo e gastarem saliva com críticas prontas sem nunca sequer terem ouvido um disco. O visual exagerado, as baladas e as letras totalmente hard rock levam qualquer pessoa a associá-los ao Poison e ao Mötley Crüe, entre outras bandas do estilo. O Warrant não está longe disso, mas se destacapor seus guitarristas e por ser uma banda mais pesada que o Poison, além de não ter as influências punk do Mötley, ou seja, mais próximos do heavy metal. Vamos à discografia e detalhar um pouco dos álbuns para quem quiser conhecer ou comparar suas opiniões:


Dirty Rotten Filthy Stinking Rich [1989]

O disco de estreia já mostra a banda indo direto ao ponto, sem enrolações e despejando músicas que se tornaram clássicas para a banda, como “32 Pennies”, “Down Boys” e “Heaven”. Os guitarristas, muito influenciados pelo Thin Lizzy, dão um show à parte: nada de virtuosismo, mas jogam para o time com peso e técnica. A principal característica da banda é o vocal de Jani Lane e a maneira como executam os backing vocals. Resumindo, um disco muito bem feito, com músicas clássicas e marcando presença em um mercado concorrido na época.



Cherry Pie [1990]

Cherry Pie é “O” disco do Warrant. Não adianta comparar, tudo o que fizeram ou farão não superará o que foi feito nesse disco, um clássico do rock em minha opinião. Esse álbum é daqueles para se colocar hoje em dia, mais de vinte anos depois, e mostrar como tem muita gente que critica sem ouvir. O disco começa com a faixa-título e seu ritmo empolgante. O que dizer de “Uncle Tom’s Cabin”? Essa vale o disco! Destaco ainda “Mr. Rainmaker”, “Love in Stereo” e a pesadíssima (hehehe) “Sure Feels Good to Me”. O disco ainda traz uma série de baladas que se tornaram a referência do estilo. É o disco com a banda no auge da empolgação e do sucesso, tudo funciona e mixagem e  produção são fantásticas!


Dog Eat Dog [1992]

Não conheço detalhes da história da banda para explicar esse disco, mas eles modificaram o visual glam e exagerado, adotando um visual mais voltado ao heavy metal. Musicalmente falando, o que foi descrito acima reflete diretamente nas faixas. “Machine Gun” já começa quebrando tudo com sua levada pesada e o vocal mais agressivo que o normal praticado pela banda. Já no refrão os backings característicos aparecem com tudo. O disco segue a linha mais madura e pesada, com letras que não falam de garotas e festas. A segunda canção, “Hole in My Wall”, com seu talk box, é uma música que resume o disco. O que mais me agrada nesse álbum é que a banda tentou (e consegiu) soar mais pesada e mais adulta do que nos dois primeiros discos. Os destaques são as faixas “Bonfire”, “Bitter Pill” (e seus vocais separados em dois canais), a festeira “Hollywood”, a balada “Let it Rain” e a última faixa, “Sad Theresa”. Não poderia deixar de citar a pancada heavy que é “Inside Out”. Com vocais gritados e backings urrados, essa música é um show a parte!


Ultraphobic [1995]

Nesse disco, com o hard rock em baixa, a banda veio com uma sonoridade moderna, se distanciando do estilo que os consagrou. É um álbum que talvez seja indicado para alguém que tenha escutado algum dos três primeiros e não tenha se convencido. Gravação e mixagem deixam o disco bem denso, que chega a ser o oposto dos dois primeiros, que têm um clima mais para cima, tanto é que o vocal de Jani Lane em muitos momentos recebe efeitos “sinistros”. O disco traz bons momentos, mas não me convenceu, pois não é o que procuro ouvir quando lembro do Warrant. É o primeiro disco sem a formação clássica que gravou os três primeiros. O destaque é a balada com toques country “Stronger Now”, além de “Crawl Space”, que poderia entrar sem medo em Dog Eat Dog.

Belly to Belly [1996]

Esse é o disco onde parece que tudo deu errado, pelo menos para mim. Nada funciona. Tem uma ou outra coisa legal, bem pouco mesmo, e perto do que a banda lançou  anteriormente, é uma tragédia.

 


 Greatest & Latest [1999]

Depois do fiasco, muitas bandas lançam uma coletânea, e aqui não foi diferente. O diferencial aqui é que as músicas foram regravadas (algumas com pequenas diferenças nos arranjos) pela formação da banda à época. Destaco a faixa “Thin Disguise”, um lado B, além de todas as clássicas regravadas. O que estraga o disco são as faixas remixadas no final, uma mais tosca e estranha que a outra. 

Under the Influence [2001]

A banda desapareceu depois de 1996. Lancou a coletânea com regravações e no meio de muita briga lançaram esse disco com covers e duas inéditas. O que dizer de um álbum com faixas de Aerosmith, Thin Lizzy, Queen, David Bowie, Cheap Trick e AC/DC, entre outras? Só pode ser bom. O curioso desse disco é que as músicas acabaram ficando com a cara do Warrant, pois a banda sempre apresentou características marcantes em toda a sua discografia.

Born Again [2006]

Com a saída de Jani Lane, a banda retornou com todos os integrantes dos primeiros discos, agora liderada pelo vocal de Jaime St. James, ex-Black n’ Blue. O disco é excelente, mas não é Warrant. Não há outra forma de definir o disco, pois a voz e as composições de Jani Lane sempre foram a marca registrada da banda. É o mesmo caso de um Twisted Sister sem Dee Snider. Considerando-se o exposto, o disco atende às demais expectativas e garante bons momentos do mais puro hard rock oitentista.

Atualmente a banda conta com o vocalista Robert Mason (ex-Lynch Mob) e está gravando um disco. Pelas apresentações recentes da banda, tocando os clássicos, espero um álbum muito bom vindo nos próximos meses.

8 comentários

  1. leonardocastro

    O meu favorito, disparado, de longe, é o Dog Eat Dog. Pesado, com composicoes inspirados, producao top… Só "Bridges Are Burning" e "Quicksand" ja valeriam o disco, mas o resto também é sensacional!

    Depois, em segundo e terceiro, vem o Cherry Pie e o primeiro. Alias, se nao fosse a faixa-titulo, muito mais gente reconheceria que o Cherry Pie é um belo disco.

    Responder
  2. diogobizotto

    Conheço por inteiro apenas os dois primeiros discos, além de duas coletâneas. Concordo com o Leonardo quanto à música "Cherry Pie": não fosse por ela, muito mais gente levaria a banda mais a sério. Ao mesmo tempo, não fosse ela, muito menos gente conheceria a banda. "Uncle Tom's Cabin" é a canção perfeita para mostrar para aquele seu amigo chato que diz não gostar de "farofa" e mostrar que a banda vale a pena. Pode não ser do primeiro escalão do hard oitentista, mas vale. "Thin Disguise" não me deixa mentir.

    Responder
  3. fernandobueno

    Também só conheço bem ( e tenho) os dois primeiros. Ouvi uma única vez o Dog Eat Dog, mas não lembro de nada. Gosto dos discos que conheço e tenho uma idéia da banda que casa perfeitamente com o que a gente espera dos grupos de hard rock dessa época. Se eles mudaram tanto o som assim em alguns discos eu não sei…mas sempre vou vê-los como a banda de Chery Pie. Falando nisso, um dia desses vi na VH1 uma matéria rápida sobre essa músiva e apareceu o Jani Lane BEEEMMM diferente dessas fotos…meio gordaço!!!! Hehehehe

    Responder
  4. Rafael "CP"

    Nossa , adorei , Warrant é uma das minhas afavoritas , só não curto mesmo o Born Again , Jani Lane é incrivel , mal posso esperar pelo novo trabalho com o fantastico Robert MAson nos vocais .

    Só pra citar , eu assisti uma entrevista do Jani Lane falando sobre como o Grunge os enterrou , ele citou dentre outras coisas , as bandas que soavam com eles , como o Slaughter e o WInger , e disse que quando lançou Cherrt Pie , tinha um grande poster do album no escritorio do presidente da Columbia , já no Dog eat Dog , ele foi no escritorio e tinha um grande poster do Dirt , do Alice in Chains , então ele percebeeu que tinha deixado de ser uma prioridade.

    Responder
  5. eduardoluppe

    Parabéns pelo post Daniel!
    Gosto bastante do Warrant, porém acho uma banda instável e mediana diante de bandas como, Motley Crue, Poison, Winger, Mr. Big e Cinderella.
    Pra mim é uma banda sem muitas caracteristicas, tipo: suja e safada como o Motley, exagerada como o Poison, técnica como o Winger e Mr. Big e blues como o Cinderella. Falta alguma coisa, mas não sei o que… rsrsrs

    Responder
  6. leonardocastro

    Em relacao ao novo disco, torço para que seja bom, o Robert Mason é excelente, mas o Jani Lane sempre foi a alma da banda, compondo todos os hits. Vamos ver se eles vao segurar a onda sem ele.

    Pena que hoje em dia ele seja mais lembrado pela forma fisica e as bebeiras e vexames no palco, porque é um ótimo compositor e vocalista.

    E para a galera que nao conhecem, deem uma chance ao Dog Eat Dog. Pesado e vigoroso, produzido pelo Michael Wagener, é um dos melhores discos de Hard Rock que eu tenho. E olha que não são poucos… Pena que quando ele saiu o mundo ja tivesse mudado.

    Responder
  7. Daniel

    Excelente Post, como fã do Warrant e músico achei as informações muito bem colocadas. Na minha opinião o melhor disco foi o Dog Eat Dog, e a nova formação realmente empolga pela qualidade do Robert Mason mas acredito que ainda soará diferente pois a voz do Jaine Laine é muito característica e por ele ter sido o compositor das principais músicas do Warrant. Vamos esperar !

    Tenho contato direto com os integrantes atuais e sei que estão em fase final de gravação. Na última semana eles terminaram de gravar todos os solos e observam que o disco será na linha do Cherry Pie com um toque de modernidade.

    A título de curiosidade, reparem com atenção o 1. disco (Dirty Rotten…) a batera tem som de batera programada, as viradas são sempre iguais e o som da caixa é bem artificial…mas as musicas são ótimas e bem para cima.

    Abraços,
    Daniel

    Responder
  8. Leonardo

    Parabens pelo blog! Não conhecia…Sobre o Warrant, Dog Eat Dog e Cherry Pie são essenciais pra quem curte Hard Rock!

    Responder

Deixar comentário

Seu email NÃO será publicado.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.