Ken Hensley – Blood on the Highway [2007]

13 de janeiro, 2011 | por Fernando Bueno
Resenha de Álbum
9

Percorrendo por minha coleção com a finalidade de encontrar algo diferente para ouvir enquanto a chuva caía e a noite se estendia, deparei-me com um álbum viciante que já não ouvia há algum tempo… Ok! Abri uma cerveja e resolvi colocá-lo novamente para rodar e logo ingressei em uma viagem quimérica naquele momento…

Ken Hensley, mais conhecido pelos seus trabalhos ao lado do Uriah Heep, fez deste álbum, Blood on the Highway, uma pequena obra prima particular, isto é, no embalo de grandes musicas ele relata de forma envolvente alguns detalhes de sua vida e dos momentos por qual passou durante sua longa e conturbada carreira…

Bom, voltando ao álbum, este inicia-se com “(This is) Just the Beginning”, que já nos remete aos anos dourados do Rock! Incrível como ele consegue extrair uma sonoridade bem anos setenta. Nesta musica, o brilho é todo do vocalista convidado Jorn Lande (Masterplan), o cara além de ter uma voz poderosa tem uma interpretação vocal impressionante. Na sequência, temos a belíssima e empolgante faixa “We’re on Our Way”, que começa de forma crescente e em dado momento lembra muito o sucesso do Thin Lizzy “Whiskey in the Jar”. Dica: Essa vocês tem que ouvir! Simplesmente excelente!
Ken Hensley
Depois das faixas inaugurais, temos a pomposa e cautelosa faixa título “Blood on the Highway”, um som pra lá de viajante com uma aura do tipo “estou viajando sem rumo com minha Harley Davidson e nada pode me deter” (bem clichê essa!)… O dueto entre Jorn e Ken Hensley chega a ser fabuloso!

A faixa “You’ve Got It”, traz um som mais quente com um refrão marcante e novamente Jorn Lande mostra porque é um dos melhores vocalistas da atualidade. Seguindo adiante, temos as faixas “It Won’t Last”, “Think Twice” eThere Comes a Time” que de forma menos brilhante segue o ritmo do álbum sem deixá-lo desinteressante…

A faixa “Okay (This House Is Down)” volta a temperar o álbum com um clima bem setentista e o andamento da música é um rock’n’roll energético de muita qualidade, impossível não cantar o refrão… Okay (Okay) Okay (Okay) We’re glad you’re still around… Show!

Voltando ao lado mais emocional do álbum, temos “What You Gonna Do” com nada mais nada menos que Glenn Hughes no vocal. Boa música, porém, não tão digerível como as outras…

Para fechar o petardo, temos “The Last Dance”, faixa mais longa do álbum. Porém, Glenn Hughes dá um show à parte e o final chega a ser cinematográfico.
Resumindo, é uma obra prima indispensável na coleção de qualquer amante do Rock em geral. The personality of Rock n’ Roll sees and challenges another potencial victim…



Track List:
1. (This Is) Just the Beginning
2. We’re on Our Way
3. Blood on the Highway
4. You’ve Got It
5. Doom (Scene 1)
6. It Won’t Last
7. Think Twice
8. Doom (Scene 2)
9. There Comes a Time
10. Okay (This House Is Down)
11. What You Gonna Do
12. Postscript
13. I Did It All
14. The Last Dance
Tempo Total: 53:00



9 Comentarios

  1. micaelmachado disse:

    Já vi esse disco a venda no submarino por um preço bem convidativo, mas deixei passar. Depois de ler esta resenha, da próxima vez que aparecer de barbada não vou deixar passar…

  2. diogobizotto disse:

    Pior que até tenho esse disco em mp3 mas nunca dei a ele uma audição merecida, apesar de já ter escutado e lido muitos elogios… é complicado, tantos sons bons por aí, o dia deveria ter umas 50 horas…

  3. Só conheco o trabalho do Ken Hesley nos classicos do Heep, alem das pequenas, mas sensacionais, participações que ele fez em alguns discos do WASP. Assim como o Micael, se eu vir esse disco a um preço razoavel por aí, nao pensarei duas vezes em compra-lo.

  4. Esse disco é muito bom… e para variar eu acho que o Jorn Lande rouba a cena,… e sempre acho que ele canta muito mais nos projetos paralelos do que nos que ele mesmo faz…

  5. Rafael "CP" disse:

    Nunca ouvi esse album , mais se o objetivo era aguçar a curiosidade , conseguiu , pq é a primeira coisa que vou fazer após ler essas linhas de puro conhecimento e empolgação , vou ouvir esse álbum .
    Bela explanação , faria até um Funkeiro ouvi – lo , parabéns pelo q conseguiu transmitir aqui.

  6. eduardoluppe disse:

    Valeu Rafael! Este álbum realmente é muito bom, pois, em épocas difíceis de ouvir algo que vale a pena, esse surpreende pela qualidade, nostalgia e originalidade!
    Daniel, concordo com vc! O Jorn sempre faz a diferença!

  7. eduardoluppe disse:

    em outras palavras… um álbum gostoso de se ouvir! somente isso… rsrs

  8. Vinícius disse:

    Esse disco é sensacional. Somente.

  9. Sou suspeito para falar do Hensley. Blood on the Highway e What You Gonna Do estão no mesmo nível de canções da fase John Lawton, onde Hensley botou as mangas para fora e mostrou que além de um excelente músico era um competentíssimo compositor. Bela lembrança!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *