Por Libia Brigido

Hoje, o Tá Na Hora do Rock! apresenta Spirit, álbum homônimo de estreia, de 1968, dos americanos liderados pelo maluquete Randy California, e que ao ouvir, tira qualquer estresse! Aqui está “Taurus”, faixa que gerou muita polêmica entre os americanos e os ingleses do Led Zeppelin, gerando uma disputa judicial por conta de plágio em “Stairway to Heaven”.

9 comentários

  1. Mairon

    Discaço. Muito mais que “Taurus”. “Elijah” é fantástica. Me surpreendi com a idade do California. Vou atrás dos outros. Baita vídeo, Libia. Obrigado!!

    Responder
  2. Ronaldo

    Show de bola, Livia! gosto muito desse álbum (tenho em CD, é o único do Spirit que tenho até o momento, apesar de conhecer os demais discos deles). Altas sonzeiras! e apesar de Taurus parecer com Stairway to Heaven, é uma pequena sequência de acordes não tão surpreendente assim e pra mim é e sempre foi uma coincidência.

    Responder
    • Líbia

      Tem muitos casos de introduções parecidas no rock que nos deixam com dúvidas. E as vezes no tempo ambos tinham influências semelhantes e as coisas ficam no subconsciente de ambos… Assim acabam produzindo coisas parecidas. Pode ser o caso!
      Adoro esse álbum, até demorei a ouvir os outros de tão viciada que fiquei. São excelentes! Tenho esse e o “Clear” na coleção.
      Obrigada, Ronaldo!

      Responder
    • Anti Zeppelin

      Claro, afinal o Bad Zeppelin não teria a fama sem os passadores de pano dos plágios e ROUBOS que cometeram.

      Se fosse outra banda o papo seria diferente, com certeza.

      Responder
  3. Jeremias

    Gostaria de deixar uma crítica construtiva: a Líbia poderia se soltar um pouco mais nos vídeos, talvez gravar sentada dê um pouco mais de conforto. Apenas uma sugestão! O carisma ela tem, esmero também – é impressionante a diferença de produção em relação ao “Capas Legais”, onde um arrogante apresentador grava contra a luz e parece editar direto no Paint.

    Responder
  4. André Kaminski

    Spirit é uma ótima banda, pena que nunca conseguiu tanto reconhecimento quanto várias outras.

    Por algum motivo que desconheço, naquela época os americanos não compravam muitos discos das bandas locais de hard e psicodélico (só mais os grandes medalhões europeus) e valorizava mais as bandas de rock sulista (Lynyrd Skynyrd, ZZ Top) e country rock (Eagles, Poco). Mas considero este primeiro ainda o melhor deles.

    E eu ainda terei uma estante de discos tipo a sua!

    Responder

Deixar comentário

Seu email NÃO será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.