Por Igor Miranda (Publicado originalmente na Van do Halen)

O homenageado de hoje é talentoso, versátil e notavelmente um grande amante da música, pois não consegue ficar parado e está sempre envolvido em um bom projeto. Com vocês, um pouco de John Corabi.


The Scream – Let It Scream [1991]
É fato que John Corabi teve uma estreia em grande estilo. Afinal, estava acompanhado de muita gente boa: dois ex-integrantes do até então finado Racer X (o guitarrista Bruce Bouilett e o baixista John Alderete), o bom baterista Walt Woodward III (que substituiu Scott Travis, recém-entrado no Judas Priest) e o lendário produtor Eddie Kramer. Mas nada disso resolveria se o frontman não tivesse talento. Let It Scream teve uma boa aceitação que se deu não apenas pela alta competência dos músicos envolvidos, mas também pela sonoridade apresentada não ser a mesma das milhares de bandas da Sunset Strip no momento. O Hard Rock dos caras era aliado à influências variadas que incluíam dinossauros como Kiss, Aerosmith e The Rolling Stones, e inúmeras inserções de Blues e Country, mas sem perder o peso e o foco inicial. Todos apresentam talento incontestável, mas Corabi brilhou tanto que chamou a atenção do baixista do Mötley Crüe, Nikki Sixx – e o resto vem a seguir.

John Corabi (vocal, violão, guitarra), Bruce Bouillet (guitarra, violão, lapsteel), John Alderete (baixo, baixolão, backing vocals), Walt Woodward III (bateria, percussão, backing vocals)

Músicos adicionais:
Jimmy Waldo – órgão Hammond
Bill Bergman – saxofone
Phill Chennell – clavinet
Ray Gillen – backing vocals
Jeff Martin – backing vocals
Claire Allen – backing vocals
Meg Bellissimo – backing vocals
LaLa Hamparsomian – backing vocals
Sharon Wilgus – backing vocals
Woodland Hills Toll Choir – backing vocals

1. Outlaw
2. I Believe In Me
3. Man In The Moon
4. Father, Mother, Son
5. Give It Up
6. Never Loved Her Anyway
7. Tell Me Why
8. Love’s Got A Hold On Me
9. I Don’t Care
10. Every Inch A Woman
11. You Are All I Need
12. Catch Me If You Can


Mötley Crüe – Mötley Crüe [1994]

O Crüe vinha de um sucesso após outro, mas no início da década de 1990 as tensões entre Nikki Sixx e o vocalista Vince Neil emergiram. Neil deu no pé e o substituto convocado foi John Corabi. O álbum Mötley Crüe saiu em 1994, em tempos onde o conhecido Hard Rock do conjunto já não tinha a abordagem da mídia de antes. Arriscando ter uma maior repercussão, a sonoridade empregada neste play é muito mais pesada do que nos seus antecessores, beirando gêneros como o alternativo, o Heavy Metal e o Grunge. Assim como todos os outros integrantes, John entrou de cabeça no processo criativo, colaborando com linhas de guitarra, letras e melodias, e além disso mostrou uma potência vocal incrível. O comprometimento do quarteto gerou um disco incrível do começo ao fim, mas que não foi bem aceito pelos fãs e pelos críticos. Mesmo assim, merece atenção redobrada e é, com sobras, o melhor desta lista.
John Corabi (vocal, guitarra-base, violão, baixo de 6 cordas), Mick Mars (guitarra-solo, violão, baixo de 6 cordas, mandolin, sitar, backing vocals), Nikki Sixx (baixo, piano, teclado, backing vocals), Tommy Lee (bateria, percussão, piano, backing vocals)

1. Power To The Music
2. Uncle Jack
3. Hooligan’s Holiday
4. Misunderstood
5. Loveshine
6. Poison Apples
7. Hammered
8. Til Death Do Us Part
9. Welcome To The Numb
10. Smoke The Sky
11. Droppin’ Like Flies
12. Driftaway


Union – Union [1998]

O debut do Union já foi retratado na postagem sobre Bruce Kulick, mas nunca é tarde para repetir: esse disco é muito bom. Kulick, que já havia perdido seu emprego no Kiss, uniu forças com John Corabi, recém-saído do Mötley Crüe. Alguns ajustes na formação trouxeram o baixista Jamie Hunting e o baterista Brent Fitz e um dos super-grupos mais subestimados do gênero estava formado. Union traz composições pra lá de coesas aliando Hard Rock bebido de fontes como Aerosmith e o próprio Kiss à pitadas de modernidade. A banda soa única do início ao fim e apresenta músicas que podem ser responsáveis por grudentas cantaroladas e assobiadas durante semanas, quiçá meses. Corabi destrói, mais uma vez, e Kulick brilha como nunca havia brilhado em vários plays de sua ex-banda.

John Corabi (vocal, guitarra, violão), Bruce Kulick (guitarra, violão, backing vocals), Jamie Hunting (baixo, backing vocals), Brent Fitz (bateria, percussão, backing vocals)

1. Old Man Wise
2. Around Again
3. Pain Behind Your Eyes
4. Love (I Don’t Need It Anymore)
5. Heavy D…
6. Let It Flow
7. Empty Soul
8. October Morning Wind
9. Get Off My Cloud
10. Tangerine
11. Robin’s Song


Twenty 4 Seven – Destination Everywhere [2002]
Dessa lista, trata-se do trabalho menos conhecido de John. Apesar disso, conta com um time de estrelas: o trio é constituído pelo próprio, por Rob Marcello (Danger Danger) e Bobby Blotzer (Ratt). Blotzer assumiu o baixo e o trio soou como quinteto, sexteto ou qualquer coisa do tipo. Destination Everywhere transborda inspiração em um disco que simplesmente não se importa com rótulos. Há uma abordagem mais comercial, mas notavelmente inspirada no The Beatles. Arrisco dizer que, em termos de estilo, é um tributo com testosterona aos quatro rapazes de Liverpool. Marcello merece destaque por demonstrar versatilidade e dar espaço para solos de Corabi, já o mesmo e Blotzer têm competência comprovada – só fizeram bonito, mais uma vez.

John Corabi (vocal, guitarra), Rob Marcello (guitarra), Bobby Blotzer (baixo, bateria)

1. Due Time
2. Fall Into Yourself
3. Dead Man’s Shoes
4. Limelight
5. Something
6. Someone I Don’t Wanna Be (Don’t Know Where I’m Going)
7. Good Times
8. Take Me To The Limit
9. It’s All About Your
10. No Matter What


Brides Of Destruction – Here Come The Brides [2004]
Apesar de não ser creditado pela gravação do álbum, John Corabi tocou no debut do Brides Of Destruction, projeto paralelo de Nikki Sixx com o guitarrista do L.A. Guns, o lendário Tracii Guns. Sua história com a banda é breve e conturbada: foi convidado para substituir o tecladista Adam Hamilton, sendo o segundo guitarrista, mas logo após gravar as guitarras para todas as faixas, abandonou o barco por conta de problemas com Tracii. Here Come The Brides é o único álbum dessa lista que não conta com vocais de Corabi, e é provavelmente o mais diferente de toda a seleção, por ser um disco bem alternativo e pesado, com fortes toques de gêneros como o sleaze e o post-grunge. Há, no entanto, vários momentos comerciais que tornam o play mais interessante. Guarda rebeldia e descompromisso, mas carece de momentos mais inspirados.

 London LeGrand (vocal), Tracii Guns (guitarra, Backing Vocals), Nikki Sixx (baixo, backing vocals), Scot Coogan (bateria, backing vocals, vocal em 7)

1. Shut The Fuck Up
2. I Don’t Care
3. I Got A Gun
4. 2X Dead
5. Brace Yourself
6. Natural Born Killers
7. Life
8. Revolution
9. Only Get So Far

crue41_edit

4 comentários

  1. Tiago Bittencourt França

    John Corabi é um exemplo de músico que nunca teve o seu talento, versatilidade competência devidamente reconhecidos, seja como vocalista, guitarrista ou e/ou compositor. Dessa lista eu só substituiria o Brides por qualquer um do Dead Daisies com ele nos vocais.

    Responder
  2. Tiago Bittencourt França

    John Corabi é um exemplo de artista que nunca teve o seu talento, versatilidade e competência devidamente valorizados, seja como vocalista, guitarrista e/ou compositor. Tudo o que o cara se envolve é no mínimo, fabuloso. Dessa lista, só substituiria o Brides por qualquer um do Dead Daisies com ele nos vocais.

    Responder
  3. Mairon

    Uma lástima a forma como trataram ele no filme do MC. Podiam ter tratado de um jeito mais honrado.

    Responder

Deixar comentário para Fernando Bueno Cancelar resposta

Seu email NÃO será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.