R. E. M. – Edições Especiais (Parte IV)

26 de novembro, 2012 | por Mairon
Artigos Especiais
0
Por Mairon Machado
A última parte das Edições Especiais lançadas pelo R. E. M. dentro da gravadora Warner Bros. apresenta os dois principais discos ao vivo oficialmente lançados pela banda, no caso Live (2007) e Live at the Olympia (2009). Porém, dessa vez não vamos tratar das versões especiais em CD, mas sim, aquelas que foram lançadas em Box Set.
Começando então por Live, ele foi gravado nos dias 26 e 27 de fevereiro de 2005, na cidade de de Dublin (Irlanda), durante o encerramento da turnê de Around the Sun (2004). Na sua versão original, foi lançado como CD duplo, trazendo um DVD bônus com a mesma apresentação. Nele, estão raras apresentações de “I Took Your Name” (Monster, 1994) e “Ascent of Man” (Around the Sun), dificilmente interpretadas ao vivo, além da até então inédita “Im Gonna DJ”, lançada posteriormente no álbum Accelerate (2008).
No total são vinte e duas canções abrangendo a carreira do grupo, a maioria na fase Warner. Apenas “Cuyahoga”, de Lifes Rich Pageant (1986) e “(Don’t Go Back to) Rockville”, de Reckoning (1984) fazem a exceção pela fase I. R. S. Records (gravadora que lançou os cinco primeiros álbuns do grupo). 
No palco, acompanhando o trio Michael Stipe (vocais), Peter Buck (guitarras, mandolin) e Mike Mills (baixo, teclados, acordeão e vocais), estão Scott McCaughey (guitarra, teclados, vocais), Bill Rieflin (bateria), Ken Stringfellow (teclados, vocais) e ainda a participação de Daniel Ryan, tocando guitarra e fazendo os vocais de apoio em “(Don’t Go Back To) Rockville”.
Versão Box de Live
A versão Box Set foi lançada no ano seguinte, e é uma luxuosa caixa com três vinis mais o DVD, o qual está inserido em uma capa envelope, e traz todas as canções do CD. Cada vinil vem inserido em sua própria capa de papelão individual, a qual possui como figura ilustrativa uma foto de cada membro da banda (uma para cada capa), e as canções que compõem os LPs. Os três vinis são inseridos dentro de uma caixa externa, muito grossa, que serve como um “Guarda-Vinis” para os mesmos. Vale bastante a pena pela raridade, mas musicalmente falando, é idêntico a versão em CD.
Dois anos depois de Live, o R. E. M. voltou, com a mesma formação, para uma série de shows novamente na Irlanda, e no Olympia Theatre, registrou o maravilhoso Live at the Olympia, acompanhados por Scott McCaughey e Bill Rieflin (guitarra e bateria respectivamente).
Foram seis noites de ingressos esgotados, entre 30 de junho e 05 de julho de 2007, aonde a plateia pode conferir ensaios para a turnê do álbum que o grupo estava por lançar a época, Accelerate. São trinta e nove canções de um disco excepcional, um dos melhores ao vivos dos últimos anos, com mais de duas horas e meia de duração, e que originalmente foram lançados em um CD duplo, trazendo como bônus um DVD com o documentário This is Not a Show, com cenas gravadas durante os ensaios no Olympia.
As canções já são bem mais abrangentes que Live, sendo vinte e duas da fase I. R. S., destacando as canções do raríssimo EP Chronic Town (1982), as quais são “Gardering at Night”, “Wolves, Lover” e “1,000.00”, praticamente inesquecidas ao vivo, além da também rara ao vivo “Romance”, existente apenas na coletânea Eponymous (1988). 
Versão Box de Live at the Olympia
A versão Box Set é quase um atentado ao coração do fã. Seguindo os mesmos padrões de Live, temos aqui quatro LPs, dividos por capas duplas que apresentam apenas o nome das canções pertences a cada disco. Complementam a Edição um pôster gigante, imitando o pôster que divulgou a série de ensaios, um livreto com fotos das apresentações e discussão sobre as canções, escrito por Peter Buck, mais os dois CDs originais e o DVD This it Not a Show, também com uma capa dupla especial para os mesmos, tendo na frente o título do DVD e no seu interior um texto de Andy Gill contando um pouco da sua relação com o R. E. M., além de conter também o livreto citado acima. 
As três capas individuais estão inseridas em uma capa extra (mais um “Guarda-Vinil”), e ao serem agrupadas, formam em suas laterais o nome da banda e do álbum que estamos ouvindo. É sem dúvidas um dos principais atrativos na carreira dos lançamentos especiais do grupo de Athens, que infelizmente, acabou no ano passado.
Os álbuns de hoje
Tomara que mesmo sem a existência do grupo, outros lançamentos, com raridades e material inédito, possam ser lançados pelos responsáveis da banda, e assim, ampliar ainda mais a já importante e vasta coleção de lançamentos feitos pelo R. E. M. nos últimos anos.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *