5 Comentarios

  1. Rafael disse:

    Não gostei nada desse album , não sei explicar bem os motivos , apenas naõ desceu … Portanto , nem posso fazer um comentario mais elaborado ,porém , eu naão curti , mais não odiei , ou seja , não acho uma merda , apenas não me desceu muito bem

  2. HUAHUAHUAH…

    Esse disco é pesado e bem direto. Estou aprendendo a gostar do RATT e esse dico me parece um boa pedida pela pegada mais forte!

    Eu o inclui porque o Diogo "brigou" comigo que não o inclui no meu top10 de 2010.

  3. Rafael disse:

    Ele anda longe do meu top 50 do ano , mais tambem porque 2010 foi um ano fudido de bom no hard rock , muitas coisas boas ficaram fora do meu top 10 por causa das coisas perfeitas que sairam

  4. Esse disco é sensacional, Top 5 do ano para mim!

    Pesado, direto, com refroes fortes e solos sensacionais!

    Confesso que nao esperava tanto da banda apos tanto tempo.

  5. diogobizotto disse:

    Esse é forte candidato a meu disco do ano! Não apenas pelas músicas apresentadas no disco, mas pela grande expectativa gerada em torno do lançamento deste que é o disco da volta da, para mim, melhor banda de hard rock dos anos 80. Quem esperava um disco mais morno (mas bom, apenas isso) como o auto-intitulado, lançado em 1999 se deu mal. "Eat Me Up Alive" mostra serviço logo no início, com um grande riff de Carlos Cavazo. Aliás, como o Ratt fez bem a esse cara! Sempre o tive como um guitarrista meia-boca, um tanto inexpressivo, mas estou surpreso com o material apresentado nesse álbum, mesmo sabendo que o grande talento ali está em Warren DeMartini, esse sim digno do rótulo de guitar hero. Aliás, o solo em dueto de "Last Call" é uma viagem aos anos 80, época prolífica em bons guitarristas que não tinham vergonha de mostrar seu talento, quando solar não era tido como algo brega.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *