Por Daniel Benedetti

O septeto Thank You Scientist foi formado em 2009, através do programa de música da New Jersey Montclair State University, quando o guitarrista Tom Monda conheceu o saxofonista Ellis Jasenovic e o trompetista Andrew Digrius. As influências musicais baseadas em Frank Zappa, Harry Nilsson, Beatles e Mahavishnu Orchestra mais tarde se tornariam o amálgama e uma semente para o conjunto. O vocalista Salvatore Marrano, o baixista Greg Colacino, o baterista Odin Alvarez e o violinista Ben Karas se uniram à banda, no que se tornou a formação original do Thank You Scientist.

A banda lançou seu EP The Perils of Time Travel, em 2011, seguido pouco depois por seu primeiro álbum completo, Maps of Non-Existent Places, em 2012, o qual chamou a atenção de Claudio Sanchez, vocalista e guitarrista do grupo Coheed and Cambria, e fundador da Evil Ink Records, que assinou com o grupo em 2014. O segundo álbum seria lançado em 2016, Stranger Heads Prevail.

Agora, também através da Evil Ink e a produção do guitarrista Tom Monda, em 14 de junho de 2019, o Thank You Scientist traz seu terceiro disco, Terraformer. Com uma formação diferente da original, o álbum marca a estreia do baterista Joe Fadem, do trompetista Joe Gullace e do saxofonista Sam Greenfield.

“Wrinkle” abre o disco como uma vitrine, preparando o ouvinte para aquilo que o aguarda com um toque refinado. “FXMLDR” é uma viagem musical de 8 minutos guiada pela guitarra de Tom Monda e pelo violino de Ben Karas, onde o Rock é exaltado, com direito a um solo belíssimo do saxofonista Sam Greenfield. “Swarm” é mais roqueira, com Monda sendo novamente o destaque, com passagens e riffs bem pesados. “Son of a Serpent” também é mais longa, com mais de 8 minutos, com uma pegada funk (o original, obviamente) e outro grande solo de Monda.

O baixo de Cody McCorry comanda a transcendental “Birdwatching”, preparando o caminho para “Everyday Ghosts” e seus mais de 10 minutos, com uma riqueza técnica impressionante, caprichando nas melodias e na alternância de dinâmicas, e ótimos vocais de Salvatore Marrano. Também com quase 10 minutos aparece outra interessantíssima composição, “Chromology”, uma faixa instrumental com muito Jazz Fusion – simplesmente viciante!

“Geronimo” traz uma musicalidade épica em uma roupagem mais rock, com ótimos vocais. “Life of Vermin” conta com mais de 8 minutos em que a banda explora passagens acústicas e influências latinas. Joe Gullace traz seu trompete em lamento, acompanhado de baixo e bateria, em um smooth jazz comovente em “Shatner’s Lament”, servindo de introdução para “Anchor”, uma música em que a palavra dinamismo representa fidedignamente. O experimentalismo criativo de “New Moon” introduz a soberba faixa-título, “Terraformer”, um épico criativo – e bem pesado – com mais de 8 minutos.

Em síntese, Terraformer é um álbum criativo e bem técnico, com capricho instrumental, em uma ode ao Rock Progressivo, mas passeando por diferentes sonoridades, apresentando uma especial habilidade do grupo em compor melodias cativantes e desafiadoras. O terceiro disco do Thank You Scientist já é um dos meus prediletos de 2019 e um convite para acompanhar a evolução do grupo.

Tracklist

  1. Wrinkle
  2. FXMLDR
  3. Swarm
  4. Son of a Serpent
  5. Birdwatching
  6. Everyday Ghosts
  7. Chromology
  8. Geronimo
  9. Life of Vermin
  10. Shatner’s Lament
  11. Anchor
  12. New Moon
  13. Terraformer

Formação:

Salvatore Marrano – Vocal

Tom Monda – Guitarras

Ben Karas – Violino

Cody McCorry – Baixo

Joe Fadem – Bateria

Sam Greenfield – Saxofone

Joe Gullace – Trompete

5 comentários

  1. Mairon

    Desconheço a banda, mas fiquei curioso com o álbum aqui relatado. Vou atrás!!

    Responder
  2. André Kaminski

    Já os conheço pelo seu segundo álbum, Stranger Heads Prevail. Prevejo que eles sejam uma daquelas bandas com potencial para ser referência do estilo no futuro nessa década.

    Responder
  3. Daniel

    Gosto bastante da banda, para o meu gosto, acho-os diferenciados, como o Alexandre se referiu acima. Para conhecer, é fácil encontrá-los nos serviços de streaming.

    Responder
  4. Ronaldo Rodrigues

    Eu vi esse disco em listas de lançamento de 2019…dei uma ouvida rápida um tempinho atrás mas não me convenceu muito a princípio. Tenho que ouvir mais vezes!
    Abraço!

    Responder

Deixar comentário para André Kaminski Cancelar resposta

Seu email NÃO será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.